quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Árvore que matou taxista estava saudável, segundo laudo da Secretaria de Meio Ambiente



A árvore tinha aproximadamente 15 metros e não apresentava nenhum tipo de dano

Na tarde desta segunda-feira (2), por causa das fortes chuvas, uma palmeira de aproximadamente 15 metros caiu sobre um táxi na rua Timbiras com avenida João Pinheiro, bairro Funcionários, causando a morte de um taxista. Mais dois outros carros também foram atingidos, sem vítimas. 

Após fazer uma vistoria no local, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente divulgou uma nota informando que a árvore se encontrava saudável, sem nenhum sintoma que levasse à indicação de sua queda. 

A árvore, uma palmeira da espécie Caryota urens, caiu em decorrência dos fortes ventos que atingiram a cidade. De acordo com a Defesa Civil, as rajadas passaram dos 60 km/h na região Centro-Sul da Capital, podendo ter atingido a velocidade de cerca de 85 km/h, no local. 

Em geral, ventos a partir de 50 km/h já representam riscos para árvores e outros tipos de elementos urbanos.

Outra queda ocorrida no mesmo momento, na Praça Sete, de uma árvore da espécie Ficus microcarpa, foi também motivada pela presença de fortes ventos, no local, tendo sido constatado, por técnicos da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, que, da mesma forma que a da Rua Timbiras, se encontrava saudável.

Estima-se que, atualmente, Belo Horizonte tenha 480 mil árvores em suas vias públicas. Hoje, cerca de duas mil, distribuídas entre as espécies munguba e paineira, estão sendo acompanhadas e monitoradas, na cidade, por causa da ocorrência de uma infestação do inseto conhecido como “besouro metálico” (Euchroma gigantea), que pode ocasionar o comprometimento dos sistemas estruturais destas árvores. 


Destas, 600 unidades já foram derrubadas pela Secretaria de Meio Ambiente, outras 1.400 estão sendo vistoriadas e, no caso da identificação de riscos de queda, serão suprimidas também.

"Vale ressaltar que o trabalho de vistoria e monitoramento das árvores é permanentemente realizado pelo corpo técnico da Prefeitura de Belo Horizonte, que se encontra distribuído por todos os órgãos de gestão regional da cidade, contando cada um, em média, com três profissionais, entre engenheiros florestais e agrônomos, responsáveis por este trabalho, e, ainda, com o acompanhamento, orientação e apoio pelo corpo técnico da Secretaria Municipal de Meio Ambiente", finalizou a nota.

Bombeiros

Até o início da noite desta segunda (2), os bombeiros receberam cerca de 53 chamadas de ocorrências diversas por causa da chuva. 

Destes, 33 foram por causa de árvores caídas ou com risco de cair, tombadas ou encostadas em muros, na região central e em bairros como Sagrada Família, Horto, Prado, Funcionários, Barro Preto e Anchieta.


Via Portal Hoje em Dia
Postar um comentário

AS MAIS ACESSADAS

Da onde estão acessando a Maria Preta