terça-feira, 5 de setembro de 2017

Como o Bitcoin está mudando as nossas vidas (querendo você ou não)


Em um mercado financeiro que, a nível mundial, vem sofrendo com maiores inflações e uma dificuldade crescente em lucrar, certamente é difícil pensar em usar seu dinheiro para pouco mais que o básico. Mas isso apenas se estivermos falando do real, do dólar ou de qualquer moeda física que atualmente (e vamos frisar o “atualmente”) é usada com frequência em nosso dia a dia.

A história muda por completo quando falamos dos Bitcoins. Mesmo tendo ganhado a atenção do público há um tempo relativamente curto, a moeda digital vem mostrando potencial para ser o futuro do mercado. De fato, não seria surpresa vê-la, no mínimo, seguir paralelamente com as moedas físicas, chegando até mesmo a substituí-las, assim como o mercado lentamente abandona as cédulas em favor dos cartões de crédito e dos pagamentos virtuais.

Para muitos de nossos leitores, a simples ideia de uma mudança como essas pode parecer só mais uma entre tantas “modas” que não devem pegar força. Mas o fato é que elas estão terrivelmente enganadas: não só os Bitcoins vieram para ficar, como já estão se tornando cada vez mais comuns e importantes no mercado financeiro.

O que é Bitcoin?

Antes de tudo, vale dar uma breve pincelada sobre o que vem a ser uma Bitcoin. Se você não esteve vivendo debaixo de uma pedra nos últimos anos, provavelmente sabe ao menos que se trata de uma moeda digital que vem mudando o mercado, justamente por seu funcionamento. Isso porque, no lugar de ser controlada por organizações, ela é completamente livre para uso do público.

Não limitado a isso, o Bitcoin é praticamente imune a inflações e vários outros problemas semelhantes de moedas físicas, como falsificações. Boa parte disso se deve ao fato de que o código usado como base para a criação dos Bitcoins – a assim chamada “mineração de Bitcoins” via hash – é limitada (só 21 milhões de moedas podem existir, sendo que mais de 16 milhões delas já estão em circulação) e pede uma série de validações complexas através de programas específicos para cada pagamento.

Isso é só um pouco do que os torna tão interessantes, claro. Não faltam exemplos para mostrar o porquê de tamanho sucesso da moeda – e, principalmente, para mostrar como ela está mudando a maneira como o mercado funciona. Basta continuar conosco nesta matéria para entender.

Valorização é pouco

O primeiro e mais óbvio ponto a ser notado é que o Bitcoin tem se tornado cada vez mais valioso. Quem acompanha o TecMundo sabe, por exemplo, que essa moeda já vale mais do que ouro há algum tempo e que, do começo de 2017 até atualmente, o Bitcoin valorizou aproximadamente 450%.

Quanto você conseguiria com um investimento “comum”? Bem, um investidor habilidoso pode considerar que teve sucesso em seu trabalho ao lucrar 20% do que investiu no espaço de um ano. Já alguém que prefere algo mais seguro ou menos trabalhoso – digamos, por exemplo, lucrar com poupanças e títulos de capitalização – deve esperar algo em torno de 0,6% nesse espaço de tempo.

Enquanto investimentos comuns rendem menos de 1% ao ano, o Bitcoin já valorizou mais de 450% seu valor em poucos meses

Para quem ainda tem dificuldades em imaginar quão valiosa essa moeda pode ser, trazemos então um exemplo bastante interessante: a Bitcoin Pizza. Se você não tem ideia do que estamos falando, trata-se da primeira compra relatada na história paga com essa moeda: um par de pizzas por 10 mil Bitcoins.

Na época, obviamente, esse valor não representava nada (afinal, praticamente ninguém sabia o que era essa moeda). Mas, de acordo com o perfil de Twitter oficial desse evento (sim, isso existe), esse valor gasto lá em 2010 valeria, hoje, US$ 46,5 milhões – e crescendo.

Vale notar, aliás, que esse valor é mais de duas vezes maior do que essa moeda valia apenas algumas semanas atrás. Como falamos antes, boa sorte conseguindo um investimento comum que consiga valorizar uma fração disso, mesmo em um espaço de tempo ainda maior.

Uma moeda disponível para todos

De nada adiantaria tudo isso, é claro, se essa moeda fosse limitada a apenas um pequeno número de pessoas. Felizmente, esse nem de longe é o caso com o Bitcoin: qualquer um com acesso à internet pode, em alguns minutos, criar sua própria carteira digital (as assim chamadas “wallets”) e comprar moedas, bem como usá-las em transações com total liberdade.

Como fazer isso? A resposta é simples. Basta utilizar empresas como a Firebit, nossa parceira nesta matéria. Com esse serviço de criptomoedas, você não apenas cria sua carteira digital rapidamente, como também pode comprar e vender Bitcoins em trocas instantâneas – e a taxas baixíssimas. A companhia, é claro também garante uma proteção com alto nível de segurança, com múltiplos níveis de autenticação e transações verificadas manualmente.


Por não ser uma moeda física, o Bitcoin é ainda mais acessível para o público

Utilizar essas ferramentas se torna uma vantagem ainda mais importante quando consideramos que, em muitas regiões do mundo, pessoas não conseguem ter sua própria conta simplesmente por não morarem perto de um banco ou por não serem “elegíveis” para os bancos. Visto que isso afeta quase 2 bilhões de pessoas, essa solução pode incentivar o crescimento de toda a economia nessas áreas – e, por sua vez, uma maior qualidade de vida.

Valioso em qualquer lugar

Outra maneira como o Bitcoin está mudando nossas compras vem do simples fato de que essa moeda, como falamos antes, não foi criada por um governo ou instituição. O que isso quer dizer, para nós? Basicamente, isso significa que você pode gastar essas moedas sem dever nada a bancos e sem precisar lidar com taxas.

Com o Bitcoin, você pode gastar em qualquer região sem dever a bancos ou lidar com taxas

Da mesma forma, como os Bitcoins mantêm seu valor independente da região, você pode usá-la em praticamente qualquer lugar do mundo sem grandes complicações ou câmbios. Em resumo, o uso deles para pagamentos é o mais direto possível (sem abrir mão de sua segurança, claro), sem ser afetado por regras ou regulamentações.

É importante comentar também que, para tornar a criptomoeda ainda mais conveniente, não faltam opções para que você utilize um Bitcoin como moeda comum – incluindo até mesmo cartões de crédito e aplicativos de pagamento para seu smartphone, que também funcionam em qualquer lugar do mundo. Tudo é uma questão de encontrar um local que aceite essa moeda.

Cada vez mais presente

A esse ponto, muitos devem estar apontando para o elefante branco no meio da sala: o Bitcoin ainda não é aceito em todos os lugares. Sim, você está certo em dizer isso – ele ainda não está presente em nossas vidas como o real ou até o dólar –, mas isso é algo que muda a cada dia que passa. E não estamos falando apenas de lá fora, mas também do próprio Brasil.

Basta dar uma breve procurada no Google para ver que já há uma tonelada de estabelecimentos aceitando compras via Bitcoins. Muitas gigantes da tecnologia, como Dell e Microsoft, já permitem que você faça pagamentos com essas moedas, assim como vários serviços diferentes e até hotéis. Aqui em Curitiba, por exemplo, surgiu o primeiro restaurante que aceita a criptomoeda na cidade apenas alguns dias atrás.

Países inteiros já aceitam o Bitcoin, e mais lojas aceitam o pagamento na criptomoeda a cada dia

Não pense, aliás, que isso está limitado a pequenas escalas. No Japão, o Bitcoin já é aceito como uma alternativa ao iene, enquanto a Rússia está atualmente estudando maneiras de regulamentar o uso dessa moeda. Assim, não seria impossível ver o mesmo acontecendo em outros países dentro de um futuro não tão distante.

Poder decentralizado

O que falamos acima é apenas uma parte de um todo que mostra o porquê de o Bitcoin ser tão poderoso. O que o torna uma moeda tão interessante é que ela é totalmente decentralizada: sem ligação a nenhuma grande corporação e armazenada diretamente nos computadores daqueles que utilizam essa moeda, não há uma maneira de tirá-la de circulação.

Como se isso tudo não fosse suficiente, essa descentralização também torna o Bitcoin extremamente seguro. Como dito no começo da matéria, o sistema de validação de uma criptomoeda, que trabalha com base no hash oferecido durante a transação, faz com que seja basicamente impossível falsificá-la.

Tudo o que falamos parece impressionante? Pois isso nem de longe é tudo o que podemos esperar dessa moeda. Se só agora o Bitcoin está começando a se destacar no mercado e, com esse pouco, já vem apresentando um crescimento superior a tudo o que havíamos encontrado até agora.

Entrando com tudo no mercado

Se você ficou animado com as possibilidades depois de ler sobre tudo isso, pode ter a certeza de que não é o único. Então se você quer investir nessa área, mas não sabe por onde começar, nossa dica, como dito antes, é apostar em nossa parceira Firebit.

Com o Firebit, você cria sua carteira digital rapidamente e também pode comprar e vender Bitcoins em trocas instantâneas super seguras

Através da empresa, comprar e vender Bitcoins torna-se extremamente fácil, já que tudo o que você precisa está centralizado em um só lugar. Oferecendo as melhores taxas do mercado e muitas camadas de segurança, tudo o que você precisa fazer para começar a usar a ferramenta é se cadastrar no serviço através do site oficial da companhia e enviar um documento válido para a verificação da conta.

A partir disso, não há segredo: é só usar seu dinheiro comum para comprar um Bitcoin – ou uma fração da moeda, caso não tenha dezenas de milhares de reais para gastar – e acompanhar o mercado. Fica para você, é claro, decidir quando comprar e vender mais delas, de acordo com seu desejo em investir.


FONTE(S) FIREBIT
Via TecMundo
Postar um comentário

AS MAIS ACESSADAS

Da onde estão acessando a Maria Preta