quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Ativista que teve cartazes racistas colocados em frente de casa registra boletim de ocorrência em Blumenau

Polícia Civil vai investigar o caso que ocorreu em Blumenau. OAB emitiu nota de repúdio.

Cartazes racistas são colocados em poste e na casa de ativista negro em Blumenau

O ativista e advogado Marco Antônio André que teve cartazes racistas colocados em frente de casa em Blumenau, Vale do Itajaí, registrou boletim de ocorrência na manhã desta quarta-feira (27). O caso deve ser investigado pela 2ª Delegacia de Polícia Civil do município.

Marco conta que as mensagens foram encontradas na manhã de segunda (25). Os cartazes, com símbolos do movimento norte-americano Ku Klux Klan, fazia ameaça por ele ser negro e praticante de religião de matriz africana. "Por mais que eu não queira crer que os cartazes são para mim, não há outra leitura. Procurei outros cartazes e não tinha", contou.

O BO foi registrado na 1ª Delegacia de Blumenau, mas o inquérito será instaurado pela 2ª Delegacia, que fica mais próxima ao bairro do advogado, segundo a 1ª Delegacia de Polícia Civil da cidade.

O G1 não conseguiu contato com a 2ª DP até esta publicação. Praticar discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou nacionalidade é crime com pena prevista de um a três anos podendo se estender a cinco anos, como mostrou o Jornal do Almoço.

“De forma agressiva como foi agora, nunca senti de fato, mas o racismo diária a gente sente. Esses cartazes estão colados nas costas e na testa de todos os negros do Brasil e da cidade, vamos falar da nossa realidade, quando profetizo minha fé como membro de uma casa de umbanda e candomblé. Só que a agressão em si é velada, ela choca quando a caixa de pandora é aberta”, afirma o ativista.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) emitiu nota de repúdio sobre o caso.


Via G1
Postar um comentário

AS MAIS ACESSADAS

Da onde estão acessando a Maria Preta