sábado, 24 de junho de 2017

O baiano Juca Ferreira assume a cultura de BH

'Adoro expectativa alta', diz Juca Ferreira em posse na Cultura de Belo Horizonte


Baiano, que assumiu a presidência da Fundação Municipal de Cultura enquanto a secretaria não é recriada de fato, fala de seus planos

Oficialmente, Juca Ferreira, de 68 anos, é o novo presidente da Fundação Municipal de Cultura. A cerimônia de posse foi realizada na tarde desta quarta-feira (21), na Prefeitura de Belo Horizonte, e contou com a presença do prefeito Alexandre Kalil (PHS) e do governador Fernando Pimentel (PT).

O clima é de esperança e expectativa por parte da classe artística da cidade. Afinal, Juca, que assumirá a Secretaria Municipal de Cultura tão logo seja implementada, traz na bagagem a experiência dos anos transformadores para a cultura, tanto na gestão de Gilberto Gil no Ministério da Cultura quanto ao período em que atuou como ministro (foi ministro da Cultura nos governos Lula e Dilma).

Ferreira, que também foi secretário de cultura do município de São Paulo entre 2013 e 2014, é reconhecido como gestor cujo pensamento cultural é pautado pela transversalidade, pela escuta e apreço ao debate e pela estruturação da cultura por meio de políticas públicas. "Tem gente que tem medo de expectativa alta. Eu adoro. Eu não gosto é da indiferença. Essa expectativa alta é um estímulo, confiança, possibilidade de começarmos trabalhando a cem por hora", comenta ele.

Quanto às prioridades, o baiano não para para pensar. "São todas. Pretendo assumir o conjunto", pontua. "Antes de mais nada receber o legado da fundação, ver o que fizeram, o relato eles. Isso é importante para eu estruturar as prioridades. Depois dialogar com a área cultural, com todas as linguagens da cultura popular, do que se manifesta na periferia, nas artes, nos museus".

Já na preocupante situação orçamentária da pasta que assume, o gestor aponta horizontes. "Isso já conversei com os vereadores. Na hora de definir o orçamento do próximo ano, é importante pensar com carinho na cultura", pontua. "Já conversei com o prefeito (Alexandre Kalil) e com os secretários da área que planejam o poder público municipal que é preciso dar o mínimo pra que a gente possa trabalhar".

Em relação à recriação da secretaria municipal de Cultura, já aprovada na Câmara Municipal, ele prevê aproximadamente um mês para sua criação, de fato. "É um avanço institucional, aproveitar tudo de bom que foi construído, aproveitar a estrutura descentralizada da fundação, acrescentar o que for preciso e construir políticas".


Via Portal UAI
Postar um comentário

AS MAIS ACESSADAS

Da onde estão acessando a Maria Preta