quinta-feira, 4 de maio de 2017

Aula aberta discute racismo e intolerância religiosa


O evento será realizado no âmbito das disciplinas Didática e Prática de Ensino de História II e Sociologia da Educação. O debate se propõe a levantar a necessidade de se respeitar a pluralidade com foco no combate à intolerância religiosa e na luta contra o preconceito racial nas instituições de ensino.

A Escola de Ciências Sociais da FGV (CPDOC) realiza, no dia 12 de maio, às 14h, o debate “Walter Benjamin e o Caboclo da Pedra Preta: o espaço escolar a contrapelo”. O palestrante será o historiador Luiz Antonio Simas que, a partir da ideia da história a contrapelo, vai questionar o ensino conformista da história, eurocentrado até quando fala de africanos e índios, e discutir o racismo epistemológico que fundamenta a intolerância religiosa, inclusive nas escolas, apresentando alternativas para combatê-lo.

O evento será realizado no âmbito das disciplinas Didática e Prática de Ensino de História II e Sociologia da Educação. O debate se propõe a levantar a necessidade de se respeitar a pluralidade com foco no combate à intolerância religiosa e na luta contra o preconceito racial nas instituições de ensino.

Luiz Antonio Simas é mestre em História pela UFRJ e autor, de livros como “O vidente míope”, sobre o desenhista J. Carlos e o Rio de Janeiro da década de 1920, e “Pedrinhas Miudinhas: ensaios sobre ruas, aldeias e terreiros”, reunindo 41 pequenos ensaios sobre cultura popular carioca de origem africana, originalmente publicados no jornal O Globo; além de publicações sobre a história do samba.

Para mais informações, acesse o site.


Via Portal FGV
Postar um comentário

AS MAIS ACESSADAS

Da onde estão acessando a Maria Preta