sexta-feira, 31 de março de 2017

Cotas raciais na Faculdade de Direito da USP


Dia Histórico!

Anos de luta do movimento negro, movimento de cursinhos comunitários e dos estudantes de luta da SanFran, finalmente a direção da Faculdade de Direito da USP aprovou, POR MUITA PRESSÃO, uma politica de Cotas Raciais para seu processo de acesso às suas vagas.A partir de 2018 vai ser assim:

20% Pretos, Pardos, e Indígenas vindos de Escola Pública (ENEM)
10% Escola Pública (ENEM)
70% FUVEST

Quis o destino que hoje, convidado pelo Centro Acadêmico XI de Agosto, eu estivesse lá, em meio ao Ato de pressão junto ao Conselho que se reunia, representando a UNEafro Brasil, justamente ao lado de Freidavid Santos e de dezenas de estudantes da Educafro, organização de onde surgimos para o movimento negro brasileiro.

A vida é assim. Dá voltas. E os que lutam, apesar das diferenças – e elas existem – e se tornam pequenos diante da nobreza da missão.

Às irmãs e irmãos da Uneafro, da Educafro, Do Quilombação, do Instituto Luiz Gama, do Núcleo de Consciência Negra na USP, do Movimento Negro Unificado Brasil- MNU CONEN, UNEGRO, @APN’s, Círculo Palmarino, Kilombagem, Coletivo de Esquerda Força Ativa, Geledés Instituto da Mulher Negra do Levante Popular da Juventude, @Instituto do Negro Padre Batista entre outros – me lembrem aí – nossos passos vem de longe. Me sinto honrado de dividir essa página da história com vcs!

É pouco ainda. Muito menos do que o justo. Mas em tempos de golpes e retrocesso, é um grande fôlego pra continuar a luta.

Parabéns pra nós!


Por Douglas Belchior em seu Facebook
Postar um comentário

AS MAIS ACESSADAS

Da onde estão acessando a Maria Preta