terça-feira, 3 de janeiro de 2017

O que eu espero do ano novo?

Maira Azevedo - Jornalista


"O que eu espero do ano novo? Que não tenha espaço para o racismo e outras formas de discriminação. Eu digo não ao racismo todos os dias, e mesmo assim ele insiste em bater na minha porta, entrar na minha vida, porque o racismo não tira férias, não descansa e segue matando todos os dias. Quando não mata fisicamente, tira nossos espaços, nos nega oportunidades. A nossa missão é resistir e persistir!
Em 2016 fui discriminada, chamada de macaca, e nada me garante que não volte acontecer em 2017, mas sigo em estado de alerta, vigilante e lutando! Não permito que o racismo me derrube, muitos dos meus morreram para que hoje eu estivesse aqui, e não será a postura reacionária, perversa e medíocre de algum racista ignorante que vai impedir que eu siga a minha trajetória de sucesso e conquistas. Eu existo, persisto, represento e luto por muitos e para muitos, pois creio que é possível um mundo mais justo e menos cruel. Por uma sociedade mais justa, igualitária e que de fato respeite a diversidade dos povos. #semracismo #anonovo #resistencia #racismo #ancestralidade #luta #porumanomelhor #blackpeople #povonegro #povopreto #noracism #vidasnegras #vidasnegrasimportam #pancadadatiama #campanhadatia #campanha2017racismoaquinao #largueodoce #combataoracismo #racismoaquinao
Postar um comentário

AS MAIS ACESSADAS

Da onde estão acessando a Maria Preta