quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Neste domingo (11), Feira Preta completa 15 anos do maior evento de cultura negra e afroempreendedorismo da América Latina e realiza dez horas de programação no Espaço Pro-Magno


O Espaço Pro-Magno, na Casa Verde, zona norte de São Paulo, recebe a 15ª Feira Preta em uma edição comemorativa que contará com shows, mostras de artes plásticas, cinema, dança, além de feira com itens de moda, acessórios, cabelo, gastronomia, entre outros. O evento acontece no próximo domingo (11) e se consolida como referência de representatividade da comunidade negra no Brasil, de fortalecimento da população e de expressão das múltiplas matizes artístico-culturais de negros e negras.

A Feira Preta reunirá também dezenas de empreendedoras/es de diversas regiões do país com interesse nesse mercado. Com isso, pretende mostrar à sociedade o que está sendo produzido por e para a população negra, incentivando o desenvolvimento sustentável das micro e pequenas empresas, gerando emprego e renda.

Durante a programação, a Feira recebe cerca de 100 expositoras/es e mais de 10 mil visitantes – entre empresárias/os dos segmentos calçadista, confecção, estilistas, designers e formadoras/es de opinião. A Feira Preta deste ano acontecerá no Espaço Pro-Magno, na Casa Verde, bairro reconhecido como berço da cultura negra paulistana.

PROGRAMAÇÃO

Entre as atrações já confirmadas estão o cantor FIÓTI, com participação de Emicida, Mahmundi, Yzalú, Drik Barbosa, Dona Jacira, Coruja CB1 e As Bahias e A Cozinha Mineira; o show Clube do Balanço e a História do Samba Rock, passando por repertório que vão da década de 70 até hoje e Dance Games – A Batalha, competição de equipes de Samba Rock. MC Soffia também subirá ao palco da Feira Preta. Ela abre os shows do evento com apresentação que começa às 13h.

Outra atração é o Baile Black Bom, que propõe uma viagem à Black Music, com releituras dos maiores clássicos do gênero, desde o soul dos anos 1970 até o hip hop contemporâneo. Além disso, o Samba da Laje e a Velha Guarda da Camisa Verde e Branco agitam o público, ano em que o samba comemora seu centenário. As festas Don’t Touch My Hair e Wine levam suas DJs para uma discotecagem com o melhor do dancehall, rap, funk, R&B e trap.

Mais uma vez, a Feira Preta traz o lounge Pret@ Digital, que promove diálogos sobre as diferentes narrativas sobre negritude criadas nas redes ou que as usam como plataforma de fortalecimento e divulgação. Abriga influenciadores digitais, blogueiros e youtubers.

A programação ainda conta com Feira de HQs, com quadrinhos e ilustradores negros que tenham a linguagem afropop em seu trabalho.

ONDE VAI ACONTECER A FEIRA PRETA?

A edição de 15 anos da Feira Preta vai acontecer no Espaço PRÓ-MAGNO, localizado na Rua Samaritá, 230, na Casa Verde e São Paulo. O espaço possui estrutura e infraestrutura para receber eventos de médio e grande porte, em um local de fácil acesso ao público. Também possui preocupação com a sustentabilidade (iluminação com o uso de leds, ar-condicionado sustentável, sistema próprio de reciclagem de todo o lixo produzido pelos eventos, sistema de captação de águas pluviais) e acessibilidade de acordo com as normas legais.

TERRITÓRIO NEGRO

O bairro da Casa Verde, onde está localizado o espaço de eventos, possui maior concentração da população negra (segundo dados divulgados pela Prefeitura de São Paulo) e consequentemente é considerada um dos grandes berços da cultura negra na cidade. A cultura predominante é a do samba, comportando mais de 20 escolas de samba, 4 delas pertencentes ao grupo especial.

A história da Casa Verde nos revela o surgimento de um dos importantes territórios negros, que desde a década de 20, se configuram e se fortalecem mediante as inúmeras tentativas da chamada “higienização” das políticas da época, que visavam expulsão de negros e alguns povos imigrantes para outras regiões afastadas do centro. E era nessa realidade que se formavam esses territórios, com suas escolas de samba, terreiros, times de futebol, salões de baile, e organização de sociedades negras, com atividades culturais e recreativas que envolviam a publicação de jornais, produção literomusical e teatral, passeios, piqueniques, e outros.

A Frente Negra Brasileira, fundada em 1931, pregava a necessidade de instrução e organização familiar das comunidades negras, em um sentido de deixar de viver em porões ou cômodos limitados nas regiões mais centrais, e como uma das ações concretas para que isso fosse possível, membros compraram loteamentos e fundaram esses núcleos negros, formando a Casa Verde, Pq. Peruche, Vila Formosa, Cruz das Almas e Bosque da Saúde.

É interessante apontar que novas e importantes instituições negras nasceram nesses bairros, definindo-os como futuros eixos de expansão e funcionando como uma espécie de base para a configuração dos atuais vetores territoriais negros da cidade de São Paulo.

E é neste território, que além de infraestrutura possui símbolos, história e reafirmação da cultura negra, que a Feira Preta intensifica o seu real valor, se consolidando como um território das artes negras, onde as famílias se encontram, os olhos se reconhecem, as modas de reinventam e onde todas as trocas simbólicas e afetivas da nossa cultura florescem.

SERVIÇO
Quando: 11 de dezembro, das 12h às 22h

Onde: Espaço PRO-MAGNO, na Rua Samaritá, 230 – Casa Verde, São Paulo/SP

Ingressos pela internet: HYPERLINK “http://bit.ly/ingressosFP15ANOShttp://bit.ly/ingressosFP15ANOS

(Meia-entrada R$15,00 e Inteira R$30 – com pré-venda a R$20,00 até o dia 30 de novembro, pela internet)


Acompanhe a Feira Preta





Enviado para o Portal Geledés 
Postar um comentário

AS MAIS ACESSADAS

Da onde estão acessando a Maria Preta