quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Pesquisas afirmam que pessoas boas transam mais


A ciência mostra que o velho provérbio de que caras bonzinhos chegam por último não vale nada. Na verdade, é justamente o contrário que acontece. Pesquisas recentes mostram que pessoas altruístas tem mais parceiros sexuais do que os tipos trouxas que geralmente ganham programas de TV de namoro. A verdade é mais parecida com um filme de comédia romântica, onde as nossas características boas se sobressaem e atraem pessoas.

Estudos mostram que as pessoas em geral preferem parceiros altruístas, numa sugestão de que um comportamento de cooperação seja algo que atraia parceiros. Além disso, seres humanos tendem a ser mais altruístas se acharem que podem ganhar algo com isso, em termos sexuais. Um estudo consistindo de vários jogos e brincadeiras mostrou que os participantes eram mais propensos a fazerem doações se a pessoa pedindo fosse atraente.

Então é isso, a ciência diz que achamos pessoas altruístas e prestativas mais atraentes e que estamos propensos a nos comportarmos mais altruisticamente na presença de possíveis parceiros sexuais. Mas, de acordo com os pesquisadores Steven Arnocky e Pat Barclay, essa é só parte da história. “Parece óbvio que as pessoas tendem a falar que preferem parceiros altruístas”, eles escreveram. “Acontece que preferências em geral nem sempre se traduzem em decisões reais de quem levar para a cama e queríamos saber se altruístas tem mais sucesso com parceiros. “

Poderia então ser que na verdade a gente prefere o cafajeste ou a garota má mesmo falando que não? Para descobrir isso, Arnocky e Barclay fizeram dois estudos. Em um deles, universitários receberam vários questionários para determinar seus níveis de altruísmo (com perguntas do tipo se já haviam doado sangue) e seus históricos sexuais. Ao mesmo tempo, um ‘inventário’ geral de personalidade foi mapeado de modo que os pesquisadores pudessem controlar características que afetassem a atividade sexual.

“Concluímos que as pessoas com maior grau de altruísmo eram as que tinham maior atratividade, maior número de parceiros sexuais, mais parceiros sexuais casuais, e mais sexo em relacionamentos sérios.”

Arnocky e Barclay não se contentaram com essa pesquisa, dado que era possível que os participantes tivessem mentido de modo a ficarem bem na fita. “Algumas pesquisas”, disseram, “mostram homens exagerando para mais e mulheres para menos os números de parceiros sexuais que já tiveram”.

O segundo estudo deles foi, então, mais objetivo. Usando ferramentas que ajudam a detectar níveis de narcisismo e ‘respostas socialmente desejadas’ para balizar exageros, os participantes entraram num concurso tendo a chance de doar, caso ganhassem, o prímio de $100. A pesquisa mostrou que os que escolheram doar o prêmio tinham tido mais parceiros sexuais durante a vida, durante o ano anterior e mais parceiros de sexo casual também.

Parece então que realmente achamos pessoas gentis e bondosas mais atraentes. Ainda de acordo com Arnocky e Barclay, pesquisas futuras podem estudar como o altruísmo se encaixa em qualidades que nos atraem a parceiros em potencial. Seria o altruísmo mais importante do que beleza e físico, por exemplo? Também é importante levar em consideração que esses estudos foram feitos com pessoas jovens e pesquisas mais de longo-prazo poderiam realmente ilustrar os efeitos de uma vida altruísta nas nossas perspectivas sexuais.

Texto originalmente publicado no site FastCoExist e traduzido livremente por Simone Rosito. Ilustração de Mike Perry.

Via Razões Para Acreditar
Postar um comentário

AS MAIS ACESSADAS

Da onde estão acessando a Maria Preta