sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Roteirista da Globo acredita que foi expulso em show de Ludmilla por racismo



“Éramos os únicos negros do lugar”, diz Fabrício Santiago

O ator e roteirista da Globo, Fabrício Santiago, foi expulso do show da cantora Ludmilla pelos seguranças da casa de show Palaphita, no último sábado (15), na zona Sul do Rio. Ele diz que foi vítima de preconceito racial.

Em seu perfil no Facebook, Santiago explica que a confusão iniciou quando seu primo, Vitor, subiu ao palco junto com outros três rapazes à convite da cantora. “Porém, em determinado momento, ele resolveu tirar a camisa, mas imediatamente os seguranças o tiraram do palco”, conta.

O autor relata que após seu primo recolocar a camisa, o problema começou. “Um dos seguranças, que continuou incomodado, avançou de formar extremamente desrespeitosa, escurraçando o meu primo pra fora do local como se fosse criminoso (real, aquele mesma cena que vemos quando alguém arruma briga na festa e é colocado pra fora). Foi literalmente expulso, sem nenhuma explicação”, diz.

Fabrício Santiago conta que após conversar com o chefe da segurança, eles voltaram à casa de show Palaphita. “A verdade é que pra nós, a festa já tinha terminado. E a gente resolveu ir além, criando coragem pra ir em busca do tal brutamonte, na intenção de questioná-lo. Sacamos o celular e perguntamos: ‘Por quê?’. Usando o cinismo, ele não fez questão nenhuma de responder. Realmente queríamos entender o motivo da expulsão e quando falamos em colocar nossos direitos em questão, foi o bastante pra sermos expulsos novamente. Mas dessa vez agimos rápido: chamamos testemunhas e a polícia”, relatou.

Ao final da postagem, o autor destacou a ausência de negros na casa de shows: “A triste realidade, é que além de mim, meu primo, dois amigos, Ludmilla e suas dançarinas, as pessoas que trabalhavam na faxina e os próprios seguranças, não existiam nenhum outro negro no local”.

Procurado pela reportagem do NaTelinha, Fabrício Santiago afirma que tudo aconteceu pelo fato dos envolvidos serem negros: “Com toda certeza. Éramos os únicos negros do lugar. Se meu primo tivesse feito algo de errado, eu seria o primeiro a brigar com ele. Infelizmente, não conseguiria provar que foi racismo, porque esse tipo de preconceito é extremamente velado. Eles não verbalizaram nenhuma ofensa racista, mas ficou bem claro o que aconteceu”.

Também consultado, o empresário Mário Andrade, dono do Palaphita, informa que está apurando o ocorrido e destaca que repreende qualquer preconceito de raça, cor e sexualidade. Mário ainda diz que vai entrar em contato com Fabrício Santiago para resolver todo o mal entendido.

Revelado como ator na temporada 2006 de “Malhação”, Fabrício Santiago atualmente se dedica à carreira de autor e mantém contrato como roteirista na Globo. Recentemente, colaborou nas novelas “Malhação Sonhos” e “Totalmente Demais”.



Por Sandro Nascimento Do Uol
Postar um comentário

AS MAIS ACESSADAS

Da onde estão acessando a Maria Preta