segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Espetáculo sobre imagem da mulher negra e sua simbologia de força chega a São Paulo


A publicitária Mirelle Martins quebrou um dos joelhos ao cair da escada da agência onde trabalhava em 2013.

Depois que se recuperou do acidente, ela usou suas férias para fazer um curso de dança “Gaga” em Nova York. Ela se apaixonou pela linguagem e ficou animada com a possibilidade de trazê-la para o Brasil.

Durante o curso, ela conversou sobre essa possibilidade com o professor do curso, Shamel Pitts, que topou ajudá-la. Shamel é um dançarino de grande prestígio. Ele já dançou em algumas das companhias mais importantes do mundo, como a companhia de Baryshnikov e a Batsheva Dance Company.


No ano passado, a dupla realizou o seu primeiro trabalho juntos. “Trouxemos o curso de Gaga para o Brasil e ele apresentou o seu primeiro solo de dança autoral chamado Black Box”, conta Martins.

Depois que Shamel foi embora, Miriam começou a planejar sua volta neste ano para criar com ele o projeto BLACK VELVET, um dueto de dança e performance. Mas, a extinção do Ministério da Cultura e da secretaria de minorias raciais e das mulheres pelo atual governo dificultou a realização do projeto.

“Não só pela falta de incentivo mas principalmente pela questão simbólica: meu país estava extinguindo todas as minhas identidades. Black Velvet é muito sobre a imagem da mulher negra e sua simbologia de força, mas não é um trabalho político, é além da política. E não queria que essas questões políticas limitassem o entendimento do que estamos nos propondo a criar”, explica a publicitária.


Entre julho e agosto deste ano, Mirelle foi novamente para Nova York fazer mais aulas de Gaga. “Nesse período, eu e o Shamel também tivemos várias conversas que reforçaram dentro da gente a importância de criar e apresentar este trabalho agora”.

O projeto está sendo realizado em São Paulo com o apoio da São Paulo Cia de Dança, Escola de Dança de São Paulo, Tentáculo de Dança e Tentáculo Audio. Mas o apoio recebido é na forma de permuta e, por isso, Mirelle teve que investir dinheiro do próprio bolso para a realização do projeto.


Ela então decidiu criar uma campanha de crowdfounding para bancar os custos de produção do espetáculo, que será apresentado nos dias 11, 12 e 13 de novembro, no Teatro Sérgio Cardoso. A meta é arrecadar R$ 35 mil, “mas com 15 mil já conseguimos fechar as contas para essa primeira temporada”.

Caso consiga atingir a meta inicial, o restante da verba será usado para a produção da segunda temporada, no ano que vem, quando Shamel voltar ao Brasil.

Confira o vídeo teaser do espetáculo aqui.


Via Razões Para Acreditar
Postar um comentário

AS MAIS ACESSADAS

Da onde estão acessando a Maria Preta