quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Um dia, tudo será memória...


Um dia, tudo será memória. As pessoas que andam naquela rua, as gentis, as sábias, as más, todas, todas serão memória, o mendigo que passa sem o cão, o ginasta, a mãe, o bobo, o cético, a turista, deus, inclusive, regendo o fim das coisas memoráveis, também será memória. Deus e os pardais. Os grandes esqueletos do museu britânico e todo sofrimento serão memória. Eu, sentado aqui, serei só esses versos que dizem haver um eu sentado aqui.

Autor: Antonio Brasileiro

Postar um comentário

AS MAIS ACESSADAS

Da onde estão acessando a Maria Preta