quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Filme sobre início do relacionamento de Obama e Michelle faz sucesso


Longa mostra o futuro presidente desleixado e tentando chamar a atenção da advogada

A cinco meses de deixar a Casa Branca, Barack e Michelle Obama chegam à vida dos americanos de uma maneira inusitada: no cinema. Em exibição em mais de 800 salas pelo país, “Southside with you” mostra uma versão romanceada do primeiro encontro afetivo do casal. Ambientado em 1989 em Chicago, o filme tem empolgado o público: no fim de semana de estreia, foi o 13º filme mais visto do país, arrecadando US$ 3,1 milhões.

O jovem Barack Obama, de 28 anos, é retratado de uma maneira bem diferente da que o país conhece hoje: fumando sem parar, com um carro velho amarelo com um furo no assoalho e numa casa sem, digamos, o máximo de asseio — a louça suja acumulada dá um ar adolescente ao futuro presidente. Por outro lado, Michelle, até então com o sobrenome Robinson, de 26 anos, era muito mais séria, sistemática e reticente ao encontro amoroso. De certa forma, o filme parece uma versão de “A Dama e o Vagabundo”, com Obama dando seu jeitinho para se aproximar da colega de escritório de advocacia e vencendo sua resistência.


Embora o objetivo seja mostrar o lado humano deste primeiro encontro, a política está todo o tempo no ar. Uma reunião numa comunidade negra em Southside (de onde vem o título do filme, ainda sem tradução para o português) é a desculpa para o encontro. Obama busca Michelle com grande antecipação — calculada — ao horário do evento e, com isso, leva a futura primeira-dama para uma exposição de arte e um piquenique, onde começam a se aproximar. A eloquente oratória de Barack numa questão social termina por dobrar Michelle, que sai para beber com ele e ir ao cinema ver o politizado “Faça a coisa certa”, de Spike Lee.

O filme surge num momento de boa avaliação de Obama — 51% dos americanos consultados aprovam seu trabalho, segundo o Gallup — o que pode ter grandes impactos na eleição presidencial de novembro. Pela primeira vez em muitos anos, o presidente em fim de mandato se tornou um eleitor importante no país, com capacidade de influenciar muitos americanos. Este filme, o primeiro sobre a vida de Obama e que já havia sido exibido no Festival de Sundance, tem tido boa crítica e avaliação dos telespectadores. A boa atuação de Parker Sawyers, como Obama, e Tika Sumpter, como Michelle, tem agradado.

— Realmente me surpreendi. Imaginava que ia ver algo mais politizado e vi um filme que parece verdadeiro. Do contrário, não deixariam Obama fumando o filme todo — avalia o estudante Ben Dawnson, que foi assistir ao filme na tarde de terça-feira em Washington, numa sala de cinema a seis quadras da Casa Branca, com a namorada, Donna.


Por Henrique Gomes Batista Do O Globo
Postar um comentário

AS MAIS ACESSADAS

Da onde estão acessando a Maria Preta