sábado, 20 de agosto de 2016

Baiana expõe pinturas inspiradas em sobremesas nos EUA


A artista plástica baiana Maria Adair nunca gostou de cozinhar. "Mas na minha família a comida sempre foi algo muito presente. As irmãs de meu pai eram exímias cozinheiras. Tenho um filho que é chef. Já eu, só gosto de arrumar a mesa e comer bem", diz ela. Daí a inspiração para utilizar alimentos como tema em algumas de suas exposições durante a longa carreira. Na mais nova delas, What Is For Dessert?, o foco está na sobremesa.

Ainda sem previsão para acontecer no Brasil, a exposição (O que temos para a sobremesa?, em português) desembarca na Galeria Regina, em Houston, nos Estados Unidos, no início de setembro. "Eu recebi o convite da dona da galeria, no ano passado. E eu já estava um tempo sem pintar. Então foi um recomeço. E como já tinha feito sobre outros pratos, achei que agora era a hora da sobremesa", conta a artista.

Levar sua arte para o exterior não é novidade para Maria Adair. Além dos Estados Unidos, ela já mostrou trabalhos em países da Europa. "Eu tinha apresentado a exposição Cores e Sabores da Bahia, em Provence [Provença, na França], e A Cor do Café, em Portugal, entre outras", lembra.

Em What Is For Dessert? a artista volta à ativa com os traços e pinturas, que dão personalidade à sua obra, com o uso de telas e objetos diversos. Adair transforma em arte utensílios do dia a dia de uma cozinha. "Na série I Love Art. I Love Café, que levo nesta exposição, por exemplo, eu utilizei pires em forma de coração. Depois pintei eles e o cabo dos talheres", diz.

Outros materiais fazem parte do repertório criativo de Adair. "Também peguei telas redondas, bem pequenas, e que para mim lembravam M&M's. Depois quis fazer donuts, que também são redondos, porém maiores. Então utilizei, pela primeira vez, um disco de vinil, que recortei no meio e forrei com espuma. Depois de tudo pronto, pintei", explica.

A nova exposição é, de certa forma, uma representação da vivência da artista pelo mundo. Entre as sobremesas que ela experimentou nos diversos países por onde passou, estão na mostra a apple pie (torta de maçã) norte-americana, o loukoum, da Turquia, e o famoso Romeu e Julieta brasileiro, entre outros.

Livros

O tempo que Maria Adair passou sem pintar, antes de se dedicar à What Is For Dessert?, foi devido a outros projetos. Ela deixou o pincel de lado e se concentrou na escrita para a produção de dois livros. Um deles já está concluído e depende de patrocínio para ser publicado.

"O nome dele é A Arte de Celebrar 365 Dias com Arte. É um livro em que cada página celebra um dia do ano com uma obra minha", revela a artista plástica.

Já o segundo, em fase de produção, trata-se de uma autobiografia. "É um livro grande sobre a minha vida toda. Então começa em 1938, ano em que eu nasci. Ele fala de vida e de arte. Até porque tudo o que a gente produz na arte é uma consequência do que a gente vai vivendo", diz.

"Este livro é como se fosse uma história em quadrinhos, com figurinhas e letrinhas. Está muito ilustrado. Mas dá trabalho diagramar tanta coisa. Por isso está demorando. Mas quanto mais demorar, maior vai ficar porque eu produzo mais coisas que vão ter que entrar", acrescenta.

Para concluir o livro que descreve sua vida e obra, Maria Adair deve ter ainda muito trabalho pela frente. Afinal, assunto para essa produção é o que não falta. Na vida profissional, são dezenas de exposições, no Brasil e no exterior, além de reconhecimentos que a consagraram como uma artista respeitada. Na vida pessoal, muitas histórias entre o nascimento na cidade de Itiruçu, no interior da Bahia, até levar ao mundo a sua arte.


Via Portal A Tarde
Postar um comentário

AS MAIS ACESSADAS

Da onde estão acessando a Maria Preta