sexta-feira, 1 de julho de 2016

Mãe e filha usam cascas de ovos para fazer mudas e doá-las nas ruas


Com apenas três anos, Alicia Nunces Micheluzzi já doou mais de mil mudas.

Ela e sua mãe, a engenheira florestal Ana Glória Nunes, criaram o projeto “Plantei um broto na casca do ovo”.

“O projeto nasceu quando começamos a plantar as sementes de frutas e legumes que consumíamos em nossa casa. Nós começamos a jogá-las dentro de potes com terra e tudo começou a germinar”, explica a mãe em entrevista ao CicloVivo.

O número de mudas na casa foi crescendo e então elas tiveram mais uma ideia. E se em vez de só plantar, elas começassem a doar também?

Porém, o número de vasos não era suficiente e assim surgiu a ideia de reaproveitar as cascas de ovo.

Ana explica que a escolha se deu pelo fato do tamanho, por não precisar de muita terra, por ser biodegradável e podendo até servir de adubo para a própria planta. “É ecologicamente correto e economicamente viável”, completa.

As casquinhas são esterilizadas, para evitar qualquer tipo de contaminação, e só depois recebem as sementinhas.

A mãe disse, que logo após postar nas redes sociais, o projeto ganhou força. “Depois de colocar a foto na internet, alguns restaurantes se impactaram com a causa e começaram a guardar as casquinhas de ovos pra mim. Com isso, o projeto teve mais repercussão, pois consegui distribuir mais mudas. Muitas delas são distribuídas nos próprios estabelecimentos que me fornecem as casquinhas”, conta.

“O objetivo é resgatar o valor do alimento, a importância do plantar. O legal é que o projeto impacta positivamente tanto as crianças como os adultos, por seu lado lúdico de ver as mudinhas dentro do ovo”, diz a mãe que espera impactar todas as pessoas de todas as idades.

A distribuição acontece em Blumenau, Santa Catarina. Ela aproveita este momento para ensinar como cuidar e cultivar das mudas e replicar o mesmo em casa aproveitando os vegetais para replantio.

Para saber mais, pode mandar um e-mail para Ana: anaglorianunes@hotmail.com






Com informações do Ciclo Vivo.

Via RPA
Postar um comentário

AS MAIS ACESSADAS

Da onde estão acessando a Maria Preta