terça-feira, 5 de julho de 2016

Filhote de foca é morto após mulher levá-lo para casa em sacola de plástico

Ao ser socorrido, animal não reagiu a remédios e passou por eutanásia.
Caso foi divulgado após ONG iniciar campanha para proteger vida marinha.

Filhote de foca deitado em deque da praia de Washington, nos EUA. Ele foi sacrificado após uma mulher levá-lo para casa em sacola de plástico. (Foto: Associated Press/Marc Myrsell/Aquário de Westport)

Um filhote de foca teve de ser sacrificado em Washington, nos Estados Unidos, após uma mulher tirar o bichinho da praia e levá-lo para casa em uma sacola plástica. Ela achou que a foca havia se perdido de sua mãe.

“Ela o levou para casa e percebeu que não sabia o que fazer ou como tomar conta dele”, afirmou Michael Milstein, porta-voz da Administração Nacional Atmosférica e Oceânica (NOAA, na sigla em inglês), à ABC News.

Depois disso, a mulher ligou para o Aquário de Westport, o mais próximo dela. Marc Myrsell, diretor do aquário, contou que, ao chegar à casa da mulher, funcionários encontraram a foca com “vida, mas extremamente letárgica”. Depois de tentarem reanimá-la, não encontraram solução a não ser fazer uma eutanásia no animal.

Esse caso ocorreu em maio, mas a NOAA só o divulgou nesta quinta-feira (28), depois de a ONG Seal Sitters, de proteção à vida marinha, iniciar uma campanha para que as pessoas não perturbem animais que estejam na praia.

Segundo a organização, essa é a época do ano em que as focas dão à luz no nordeste do Oceano Pacífico. Depois disso, elas e os filhotes, assim como outros animais marinhos, vão descansar na costa de Seattle.

Nessa temporada, em pelo menos outras cinco vezes, pessoas bem intencionadas tomaram posse ilegalmente focas bebês no Oregon e em Washington pensando que eles estavam abandonados ou precisavam de ajuda, mas essa inferência resultou em duas mortes, afirmou Milstein.

ONG Seal Sitters promove campanha de proteção à vida marinha, após filhote de foca morrer depois de ser retirado da praia por mulher. (Foto: Elaine Thompson/Associated Press)
Postar um comentário

AS MAIS ACESSADAS

Da onde estão acessando a Maria Preta