sexta-feira, 24 de junho de 2016

Marca italiana substitui couro e camurça por tecido feito de cogumelos


Responsável por uma boa parte das emissões de gases do efeito estufa, a indústria da moda precisa repensar sua cadeia produtiva. Começando pelas matérias-primas usadas na confecção dos seus produtos.

A empresa italiana Grado Zero Espace vem respondendo bem a essa necessidade. Ela desenvolveu, entre outros produtos, um tecido feito de cogumelos. Batizado com o nome de “Muskin”, o tecido é resistente e naturalmente impermeável.

Ele é extraído da parte superior dos cogumelos. O processo de fabricação é similar ao do couro de origem animal, que é curtido, mas com a vantagem de ser 100% natural. Segundo a empresa, a ausência de produtos químicos faz o material não ser tóxico.

Mas, a principal diferença do Muskin é que ele não promove a proliferação de bactérias e tem grande capacidade para absorver umidade de depois liberá-la. Isso faz dele o material ideal para palmilhas, sapatos ou pulseiras de relógio, por exemplo.


Comercializado em tamanho médio de 40×20 centímetros, ele é fabricado em quantidade suficiente para garantir a produção de séries pequenas. O Muskin pode ser usado em bolsas, chapéus, calçados, jaquetas e acessórios gerais.


Com informações do CICLO VIVO

Via RPA
Postar um comentário

AS MAIS ACESSADAS

Da onde estão acessando a Maria Preta