quinta-feira, 23 de junho de 2016

HQ com pimenta


Quadrinista italiana exibe pornografia para mostrar as mulheres no poder

Existem duas maneiras para avaliar o trabalho da italiana Giovanna Casotto, que tem lançado agora no Brasil um de seus livros, "Giovanníssima".

A primeira é dizer que seus quadrinhos expressam uma atitude dominadora da mulher, que são alegorias de um feminismo radical. A segunda é chamar de pornografia.

As duas classificações são adequadas, embora Giovanna tente fugir de ambas. Em entrevista à Folha, ela prefere reduzir o que faz a uma exposição pretensamente amoral da mulher fazendo sexo.

"Gosto de desenhar corpos femininos e por isso tento encontrar situações em que posso explorá-lo ao máximo. Portanto, são situações onde você vê bem a mulher, em diferentes posições, sempre tentando não aborrecer o leitor."

Detalhadamente explícitas, suas histórias curtas brincam com manjadas fantasias eróticas, como a mulher que seduz o entregador de pizza ou a vítima de um assalto que inverte o jogo e rouba sexo do malfeitor. Em todas, um final surpreendente ou engraçado.

Ela rejeita que as historietas tenham qualquer lição de moral ou defendam o protagonismo feminino. "Não penso em feminismo quando desenho, nem carrego o trabalho com algum significado moral. As histórias são simples desculpas, até mesmo um pouco dementes, para mostrar o corpo feminino."

Divulgação 
A autora italiana de HQ Giovanna Casotto, que foi modelo do desenhista Franco Saudelli

O traço ultrarrealista é conseguido a lápis. "Sempre usei o lápis porque tenho medo de tudo o que é final, definitivo. O lápis pode ser apagado, então trabalho descontraída. É uma idiossincrasia que virou minha marca estética."

Aos 53 anos, a autora começou seu envolvimento com quadrinhos há 20 anos, quando posava para o desenhista italiano Franco Saudelli, autor da HQ "La Bionda" e adorador dos pés femininos.

"Ele foi meu grande professor. Quando passei a ilustrar profissionalmente, tentei desenhar aquilo que o atraía. Era como se emprestasse os olhos dele para desenhar."

CARNE GRÁFICA

Desde seus primeiros estudos ela trazia a ideia de fazer HQ erótica. "Já estava interessada na figura humana nua, sempre fui obcecada com a tentativa de mostrar graficamente a carne. Quando eu comecei, havia poucas mulheres na HQ que arrancavam erotismo. Eu queria esse tipo de narrativa visual."

É surpreendente que a criadora de minuciosas cenas pesadas de sexo declare não consumir pornografia. "Não assisto a filmes pornográficos. Nunca dei atenção, estou sendo sincera com você. Conheço o que eu desenho, não acho que ver pornografia possa acrescentar alguma coisa."

Giovaníssima
Giovanna Casotto

E Giovanna segue com declarações inesperadas. "Não gosto de quadrinhos, nem os que faço. Mas há pessoas que admiro. Amo demais 'La Bionda', de Saudelli, e os trabalhos de meus amigos Fernando Caretta e Roberto Baldazzini."

Giovanna participa de convenções de HQ e sempre aproveita para desenhar muito diante dos fãs. Esse trabalho "ao vivo" é uma maneira de provar que ela é a autora de seus livros. "Muita gente duvida que uma mulher como eu seja realmente a autora desses quadrinhos eróticos."

GIOVANNÍSSIMA
AUTORA Giovanna Casotto
EDITORA Veneta
QUANTO R$ 74,90 (104 págs.)

Divulgação
Milo Manara
Aos 70 anos, "o desenhista das nádegas perfeitas" insere mulheres elegantes em cenários inesperados e narra histórias de sadomasoquismo e voyeurismo em tom de fábula. Seus maiores sucessos são a série "O Clic" e a HQ "O Perfume do Invisível". Várias de suas obras foram lançadas no Brasil


Via Folha
Postar um comentário

AS MAIS ACESSADAS

Da onde estão acessando a Maria Preta