segunda-feira, 27 de junho de 2016

Governador do Ceará e UNILAB tentam abafar três casos de estupro


O ÚLTIMO CASO DE ESTUPRO ENVOLVENDO ALUNOS DA UNILAB ACONTECEU NO ÚLTIMO SÁBADO, 18, APÓS UMA FESTA DE FORMATURA (FOTO: CEARÁ NEWS)

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), preferiu adotar o silencia nos casos de estupro de três alunas da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), sediada nas cidades de Acarape e Redenção, denunciados nos últimos meses.

O último caso, que é investigado pela Polícia, aconteceu na manhã de sábado, 18, em uma república estudantil após uma festa de formatura, contra uma universitária estrangeira de 25 anos. O suspeito seria outro aluno da instituição, de 22 anos.

De acordo com o site Ceará News, Camilo sequer comenta o fato, nem permite que os gestores da Segurança Pública se manifestem perante a imprensa, por temer que repercussões nacional e internacional levem ao fechamento da universidade que foi implantada no Ceará na gestão do ex-presidente Lula. A reitoria da Unilab também tentou abafar os casos de todas as maneiras.

Os estudantes da universidade afirmam que a diretoria chega a ser conivente com a situação. Indignados com isto, os alunos picharam as paredes da Reitoria e do próprio gabinete do reitor para que a Imprensa e a população tomassem conhecimento do fato.

Os alunos ainda relatam que alguns professores tentam proteger o universitário, sob a argumentação de que a vítima seria responsável pelo crime por ter ido à festa. Outro comportamento denunciado foi o de minimizar o crime para não "acabar com a vida" do estuprador.

A jovem não tem frequentado as aulas desde o ocorrido. E, segundo os estudantes, o suspeito do estupro assistiu aula normalmente já na segunda-feira, 20.

Solto pela Justiça

Ao saber do caso apenas na segunda seguinte à violência, a delegada titular de Redenção, Arlete Silveira, exames constataram a violência. Ela tomou o depoimento da vítima e iniciou diligências que resultaram na identificação, localização e prisão em flagrante do abusador. No entanto, a juíza da comarca de Acarape, Juliana Sampaio, concedeu alvará de soltura ao universitário, argumentando que o caso não se configurava prisão em flagrante.

Intervenção

O senador Eunício Oliveira (PMDB) deverá pedir a intervenção do Ministério da Justiça na investigação do caso de estupro. Eunício classificou como “gravíssima” a denúncia feita pelos próprios alunos de que a direção da universidade estaria tentando ocultar os fatos. Além disso, o senador ressalta que o caso merece uma investigação rigorosa e mais abrangente, visto que a instituição abriga jovens brasileiros e estrangeiros.


Via Diário do Poder
Postar um comentário

AS MAIS ACESSADAS

Da onde estão acessando a Maria Preta