quarta-feira, 16 de março de 2016

Karol Conka e MC Carol no Lollapalooza: Vai ter negra empoderada no palco sim!


Foi quase unanimidade: Karol Conka fez um dos melhores shows do domingo (13) de Lollapalooza.

O sucesso da rapper curitibana é um alívio em um Lolla que elegeu Eminem ao posto de maior destaque. Karol Conka é a antítese do rapper misógino cujas letras discursam basicamente sobre violentar ou matar mulheres.

A autodenominada “Mamacita” é uma das poucas vozes femininas que conseguiram quebrar a barreira do rap nacional, gênero em que, no palco e nos bastidores, predominam os homens.

Em entrevista ao HuffPost Brasil, ela disse que para isso foi necessário se esforçar “duas vezes mais” do que qualquer homem: “A gente só consegue respeito no rap quando fala grosso, fala alto e faz um trabalho melhor do que os caras.”

Todo mundo cantou junto e vibrou quando a rapper discursou sobre as conquistas do feminismo. “Nós, feministas, vamos levar o Brasil para frente. Aceita que dói menos!”, disse, a um público empolgado e diverso em cor, orientação sexual e gênero.

Mas o show só chegou ao auge quando Karol chamou MC Carol para o palco. Do seu jeito, MC Carol, negra, gorda e feminista, prega o empoderamento feminino e a quebra de padrões de beleza em suas letras e discursos.

O resultado? TOMBAMENTO GENERALIZADO.


Em seu Facebook, MC Carol comentou sua participação: “Se há um ano me falassem que eu estaria no palco do Lolla cantando do lado de outra cantora negra, eu ia rir na cara do maluco!”

Pode rir, MC Carol. Mas de satisfação.


Do HuffPost Brasil
Postar um comentário

AS MAIS ACESSADAS

Da onde estão acessando a Maria Preta