domingo, 28 de fevereiro de 2016

É preciso preservar as instituições



O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, afirmou nesta quinta-feira, 25, que a prisão do marqueteiro João Santana "não tem nenhuma relação" com a presidente Dilma Rousseff. "Há sim uma clara tentativa de setores da oposição de fazer especulações e tentar reverter o resultado das urnas", disse o ministro ao deixar a cerimônia de posse da nova cúpula do Tribunal Superior do Trabalho (TST), em Brasília.

MINISTRO ACUSA OPOSIÇÃO DE
"ESPECULAR" PARA REVERTER
RESULTADO DAS URNAS.
FOTO: LULA MARQUES

Cardozo afirmou que não acredita que a prisão de Santana possa influenciar os processos de impeachment da presidente que estão em curso, inclusive o que está no TSE e pode culminar com a cassação da chapa de Dilma e do vice Michel Temer. "Não acredito sinceramente que nenhum desses processos tenha algum fato que possa justificar a cassação do mandato", destacou o ministro, ressaltando que os oposicionistas fazem "marolas" para criar crises. "Essa é uma política ruim para o País."


Questionado sobre as investigações em torno do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e possíveis problemas entres os poderes, o ministro disse que não vê dificuldades institucionais porque "o Brasil tem instituições fortes".

Nesta tarde, tomou posse à frente do TST o ministro Ives Gandra Martins Filho. Participaram do evento o vice-presidente Michel Temer, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, o ministro do Trabalho e Previdência, Miguel Rossetto, entre outras autoridades. (AE) Diário do Poder.


Do Diário do Poder
Postar um comentário

AS MAIS ACESSADAS

Da onde estão acessando a Maria Preta