segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Religião não mede seu caráter, diz Sílvio em dia de combate à intolerância


O dia 21 de janeiro é marcado pelo combate à intolerância religiosa. A data ganhou simbolismo no ano 2000, quando a fundadora do Terreiro Ilê Axé Abassá de Ogum, localizado em Itapuã, Mãe Gilda, morreu após ter o estado de saúde agravado por conta de uma demonstração de hostilidade praticada por integrantes da Igreja Universal do Reino de Deus. Desde então, a passagem é lembrada como meio de promover o respeito à diversidade das crenças.

Para o vereador Sílvio Humberto (PSB), presidente da Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Lazer na Câmara, a data é importante para fomentar a reflexão e a harmonia entre as diversas religiões. “O dia de hoje é importante porque marca uma posição contra a intolerância, sobretudo, a sofrida pelas religiões de matriz africana. E não podemos esquecer que a liberdade religiosa é um direito constitucional”, destacou, ressaltando que tais demonstrações têm como pano de fundo o racismo.

“É uma das formas de expressar o que se acredita, mas é importante salientar que a religião não mede o seu caráter”, frisou Sílvio Humberto.

Sílvio Humberto acredita, ainda, que a sociedade precisa passar por um processo educacional de aceitação da sua história para que uma nova realidade se desenvolva. “A sociedade ainda precisa se envolver mais”, pontuou.


Por Vinícius Ribeiro Do Bocão News

Postar um comentário

AS MAIS ACESSADAS

Da onde estão acessando a Maria Preta