segunda-feira, 6 de abril de 2015

Menos slogans e mais(boas) práticas!

Concita Pinto - Instituto Maria Preta
Alguns de nossos seguidores têm estranhado o nosso posicionamento sobre posts ligados as manifestações e política brasileira, nos perguntado se somos de direita e se estamos à serviço da Globo e da elite golpistas.


Primeiramente, consideramos importante afirmar que não somos e nem nunca fomos de direita, não somos e nem defendemos golpistas, nunca fomos beneficiados com dinheiro público de nenhum governo ou nenhuma empresa brasileira. Somos independentes! E esperamos poder continuar assim. Estamos no ar desde 2009, há exatamente 6 anos. Durante todo esse período somos bancados, exclusivamente, pelos produtos que vendemos e pela colaboração de nossos membros. Nossos membros e colaboradores que sempre lutaram pela democracia, liberdade de imprensa e direitos das minorias.



Já votamos (apoiamos) no ex-presidente Lula porque entendíamos a importância do valor simbólico na época e reconhecemos os avanços sociais no seu primeiro mandato. Mas isso não nos torna cegos diante dos desmandos que estão ocorrendo em nosso país.


Defendemos sim a democracia e o direito de cobrar os governantes, independente de partido, exigir qualidade nos serviços públicos e meritocracia ao invés de aparelhamento da máquina estatal. Defendemos sim, a cadeia para os que roubam nossas riquezas, nossos sonhos, destroem nossas empresas e enriquecem ilicitamente e/ou se utilizam de nossas riquezas, para vencer eleições. Defendemos clara e fortemente o combate ao racismo. Defendemos a necessidade e importância da presença de negros nos ministérios (além da Seppir), nas secretarias de estado e nos município. Lamentamos apenas a frouxidão e a conivência de algumas lideranças e representantes de movimentos e instituições que se propõe a defender a população negra, mas se calam em troca de alguns mirreis, ou por se beneficiar de cargos públicos de segunda ou terceira categoria no governo de plantão.

As poucas manifestações de desconforto, feitas por alguns de nossos leitores nos encorajam ainda mais e reforça a necessidade de não nos afastarmos dos pontos que originaram a nossa existência. Exatamente por isso, vamos continuar defendendo sim a liberdade de expressão, defendendo sim a meritocracia, ao invés do aparelhamento do Estado Brasileiro, para que possamos ter direito a serviços de qualidade: educação, saúde, segurança, transportes, entre outros. E daremos espaço a todos que pretendam se manifestar e defender posturas éticas, honestas, e de interesse da sociedade. Não temos rabo preso, nem emprego, nem verbas de governos ou partidos políticos.

Importante registrar que mesmo não tendo nenhuma relação, concordamos em partes com o que defendem e praticam alguns políticos como o senador Antonio Reguffe sobre a moralização na politica, o senador Cristovam Buarque, no que defende sobre a Educação, os Ex-senadores Pedro Simom e Marina Silva sobre ética na politica, o senador Paulo Paim sobre a questão racial e até alguns poucos membros do governo federal que praticam e defendem postura ética e a meritocracia na gestão pública.

Acreditamos tanto no nosso pensamento democrático em favor de nosso país e da sociedade brasileira que entendemos que nossa responsabilidade com o momento que estamos atravessando, que defendemos que os custos que o Brasil tem hoje com a política sejam transferidos imediatamente para investimentos em saúde, educação, segurança e transporte.

Nesse sentido estamos iniciando aqui uma campanha para moralização da politica e melhor funcionamento do serviço público no Brasil.

No LEGISLATIVO (federal, estadual e municipal):

A definição de um único salário sem nenhum tipo de benefício ou mordomia, como acontece nos países mais desenvolvidos, onde, para o exercício de seus mandatos, contando unicamente com 1 gabinete, 1 secretária, e 1 computador.

A retirada imediata dos seguintes benefícios:

- passagens aéreas

- auxílio moradia

- verba de representação

- auxílio saúde

- aposentadoria diferenciada

- carro oficial e combustivel 

- motorista

- cotas de telefone e correspondências 

- reeleição apenas por mais um mandato 

A perda imediata do mandato quando assumir um posto no executivo.

No EXECUTIVO (federal, estadual e municipal): 

- Redução imediata do número de ministérios a no máximo 15 a 20 pastas com prestação de contas trimestral a sociedade e apresentação obrigatória de planejamento anual.

- Redução imediata dos cargos de confiança a 1 para cada órgão ligado ao gestor (Ex: o presidente pode indicar o Ministro da pasta mas não pode indicar mais ninguém na estrutura do ministério. O ministro pode indicar 1 colaborador para sua estrutura de gabinete. O gestor de cada empresa e/ou órgão diretamente ligado a sua pasta poderá indicar um único colaborador.

- Presença no executivo majoritariamente de técnicos comprovadamente em suas áreas (currículos, portfólios, serviços prestados etc...).

- O afastamento imediato quando denunciado e se tornar réu em qualquer instância do judiciário não apenas após transitado e julgado.

- Presença um maior número de negros no comando do executivo (ministérios, estatais e secretarias estaduais e municipais). Para isso, um investimento pesado em educação pública de base)

- Retirada imediata de repasses financeiros a sindicatos e entidades de movimentos sociais, que serão obrigados a sobreviver de forma sustentável e colaborações de seus filiados, como acontece na iniciativa privada.

- Proibição de mudança das marcas das administrações em função da troca de gestor.

- Proibição de gastos com propaganda para promover a administração e/ou gestor, podendo perder o mandato

- Prestação de contas trimestralmente

- Reeleição para mais um único mandato sem a possibilidade de ser eleito para nehum outro cargo público (executivo, legislativo ou judiciário)

NAS AGÊNCIAS REGULADORAS

- Presença exclusivamente de técnicos reconhecidos comprovadamente por sua atuação no setor.

- Prestação de contas e publicidade sobre todas as decisões de interesse social antecipadamente e de forma periódica (Ex: novo medicamento ou laboratório, novo aeroporto ou linha aérea, novo serviço de telefonia, concessão de estradas, etc...)

NO JUDICIÁRIO E TRIBUNAIS DE CONTAS (união, estado e município)

- Proibição de presença de membros que já ocuparam cargos no executivo e legislativo

- Presença de um maior número de negros no comando dos tribunais. (Investimento pesado em educação pública de base)

Complete nossa lista. Mande suas mensagens com sugestões e críticas e vamos divulgar nossas idéias para que possamos construir uma sociedade mais honesta, mais justa, mais eficiente e mais humana.

Menos slogans e mais(boas) práticas!

Concita Pinto - Instituto Maria Preta
institutomariapreta@gmail.com
Postar um comentário

AS MAIS ACESSADAS

Da onde estão acessando a Maria Preta