quinta-feira, 28 de maio de 2015

'Ladrão tem de ir para a cadeia'


Romário comemora a prisão de Marin: 'Ladrão tem de ir para a cadeia'

O senador Romário (PSB-RJ) comemorou nesta quarta-feira a prisão do ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin, na Suíça, a partir de investigações da justiça dos Estados Unidos sobre esquema de corrupção na Fifa. Crítico das ações do dirigente na confederação, Romário destacou que a ação da polícia, em Zurique, pode significar o início de mudanças no futebol brasileiro. "Corruptos e ladrões que fazem mal ao futebol foram presos, inclusive José Maria Marin. Ladrão tem de ir para cadeia. Parabéns ao FBI. Infelizmente não foi a polícia brasileira quem prendeu", disse em audiência pública na Comissão de Educação (CE) do Senado, que debate a situação do futebol feminino no país.

Billie Holiday - Strange Fruit (Com legenda)



João da Cruz e Sousa - De Lá Pra Cá


João da Cruz e Sousa é considerado o mestre do Simbolismo Brasileiro e também o maior poeta negro de língua portuguesa.

Os lugares mais racistas dos Estados Unidos


Estudo se baseia em buscas no Google que incluíam a palavra niger, considerada o termo mais ofensivo e pejorativo na língua inglesa para se referir à população afrodescendente; notou-se uma relação entre os dados e as regiões do país onde as taxas de mortalidade do povo negro são maiores

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Galeria Olido recebe 80 obras haitianas em comemoração ao Dia da África


Exposição ‘Haiti – Vida e Arte’, em cartaz entre 25 e 31 de maio, reúne acervo do colecionador Jacques Bartoli e traz workshop de pintura gratuito com o artista Emmanuel Saincilus

O Dia da África é celebrado mundialmente no dia 25 de maio e como forma de homenagear a data, a Secretaria Municipal de Promoção e Igualdade Racial com apoio da Secretaria Municipal de Cultura realiza a mostra “Haiti – Vida e Arte”. Entre os dias 25 e 31 de maio, 80 obras do acervo do colecionador haitiano Jacques Bartoli são exibidas na Galeria Olido.

Brasília 55 - da utopia à capital


Sábado, às 17hs, na exposição, Galeria Athos Bulcão, bate-papo com Alex Flemming, um dos mais importante artista brasileiro de sua geração residente no exterior. Imperdível! Chame os amigos.
Assessoria Jurídica Denise Ortiga
Curadoria: Danielle Athayde.
Vale a pena conferir.
Até lá!

Ronda do bem: grupo de pessoas percorre SP fazendo doações para moradores de rua e novas amizades

 
Ronda do bem: grupo de pessoas percorre SP fazendo doações para moradores de rua e novas amizades

Entre os bairros nobres de Higienópolis e Pacaembru, na zona oeste da capital paulista, um grupo de 50 pessoas em média realiza rondas noturnas, uma vez por mês, fazendo doações de alimentos, roupas e itens de higiene para moradores de rua, aproveitando também para conversar e conhecer melhor suas histórias de vida.

Subestimando a inteligência alheia

Petistas disfarçados de juristas entram com um ridículo pedido de impeachment contra Richa. Ou: Imprensa usa governador para desafogar as suas culpas por ter de dar notícias contra o PT

Vejam estas fotos. Volto em seguida.
 

O mundo retira mordomias dos políticos. O Brasil, em crise, aumenta!

Nova prefeita acabará com carros oficiais para políticos


GENEBRA – A Espanha viveu um pequeno terremoto este fim de semana, com a vitória de grupos que por anos ocuparam praças e protestaram contra a austeridade. Agora, eles chegaram ao poder, pelo menos nas eleições locais.

Tragédia de índio Galdino, queimado vivo em Brasília, completa 15 anos

Jovens foram condenados a 14 anos de prisão, mas foram soltos após oito
 
 
Há 15 anos, cinco jovens de classe média em Brasília escolhiam uma forma inusitada e cruel de se divertir durante a madrugada, depois de uma festa com os amigos. Compraram gasolina e uma caixa de fósforo, atearam fogo em um índio que dormia em uma parada de ônibus na W3 Sul, avenida de um bairro nobre da capital federal, e fugiram.O índio pataxó Galdino Jesus dos Santos, de 44 anos, que estava na cidade para comemorar o Dia do Índio, acordou em chamas e horas depois morreu no hospital com 95% do corpo queimado. Os rapazes foram reconhecidos, presos e condenados a 14 anos de prisão, mas a lei brasileira garantiu que ficassem apenas oito anos na cadeia — e com direito a várias regalias.Para justificar o crime bárbaro, os rapazes alegaram que acreditavam ser um mendigo e resolveram “brincar” com ele. Anos depois do crime que chocou o Brasil, uma onda de ataques a mendigos e moradores de rua se espalha por Brasília e também pelo País. Só neste ano, três mendigos foram atacados enquanto dormiam no Distrito Federal.

Diferenças entre ciganas e pombas giras ciganas

A linha dos ciganos é uma linha independente que não trabalha apenas na Umbanda.

Tem uma vibração muito próxima à Linha do Oriente, podendo trabalhar como uma Falange dessa linha. ou como uma Linha independente, com suas próprias falanges, dependendo da raiz (origem) dos espíritos.
As entidades ciganas costumam ter muitas experiências encarnatórias como ciganas, com tradição e conhecimento de seu povo. Enquanto que as pombas Giras Ciganas podem ter sido ciganas, que optaram pelo trabalho de pombas Giras ou Pombas Giras que tiveram acesso ao conhecimento e à magia própria dos ciganos sem contudo terem ligação de raiz com o povo cigano.

"Basta de corrupção!"

Rodrigo Janot diz que está na hora de dar um basta à corrupção
Prédio da PGR em Brasília recebeu adesivo de campanha contra esse tipo de crime

Campanha coloca adesivo contra a corrupção no prédio da PGR, em Brasília - Givaldo Barbosa / Agência O Globo
 
— A corrupção não pode ser vista como algo cotidiano e que permeia nossas vidas. Chegou a hora de dar um basta. Corrupção, não! — disse Janot.

Meu nome é Gal

Gal Costa lança CD 'jovem e carpe diem' mas diz que ainda é 'leoa'
Mallu, Camelo, Criolo, Céu e Lira compuseram músicas para 'Estratosférica'.
 
Ao G1, ela lembra exílio de Caetano e Gil: 'Segurei a barra do Tropicalismo'.
 
A cantora Gal Costa, que lança o disco 'Estratosférica' (Foto: Divulgação)
 
Gal Costa, de 69 anos, diz que fala sério quando canta "Não sou mais tola/ Não mais me queixo/ Não tenho medo/ Nem esperança" na música "Sem medo nem esperança". "É uma canção autobiográfica, fodástica", afirma sobre a primeira faixa de seu disco mais recente, "Estratosférica". O adjetivo não é elogio para si própria, mas para o poeta Antonio Cícero, autor da letra. Em entrevista ao G1 por telefone, ela conta também que o fato de se tratar de um rock foi decisivo para ser este o número de abertura do CD.

Arte contemporânea africana no Museu Afro










Na parede do museu, nada chama mais a atenção do que uma enorme cortina dourada. De longe, parece um adorno suntuoso, mesmo que desestruturado e desarranjado –uma espécie de joia em decomposição. De perto, tudo aquilo se revela uma trama de tampinhas de garrafas de uísque e rum, achatadas e costuradas com fios de cobre.

Racismo e desigualdade na Bahia


Nas falas de Hamilton Borges, coordenador da Campanha Reaja ou Será Morta, Reaja ou Será Morto, durante a audiência pública na CPI que investigou o extermínio de jovens negros, o estado da Bahia é apontado como principal violador de direitos de negros da periferia. O racismo está nos cursos de formação de guardas municipais, policiais civis e militares com uso do Manual da Tatuagem, no Baralho do Crime, bem como nas operações policiais que remetem à ideia de higienização social, tendo como alvo prioritário comunidades negras do subúrbio.

AS MAIS ACESSADAS

Da onde estão acessando a Maria Preta